Normas

Política editorial

 

A Ophiussa – Revista do Centro de Arqueologia da Universidade de Lisboa foi iniciada sob a direcção de Victor S. Gonçalves em 1996, tendo sido editado o volume 0. O volume 1 (2017) é uma edição impressa e digital da UNIARQ – Centro de Arqueologia da Universidade de Lisboa.

O principal objectivo desta revista é a publicação e divulgação de trabalhos com manifesto interesse, qualidade e rigor científico sobre temas de Pré-História e Arqueologia, sobretudo do território europeu e da bacia do Mediterrâneo.

A Ophiussa – Revista do Centro de Arqueologia da Universidade de Lisboa publicará um volume anual. A partir de 2018, os artigos submetidos serão sujeitos a um processo de avaliação por parte de revisores externos (peer review). O período de submissão de trabalhos decorrerá sempre no primeiro trimestre e a edição ocorrerá no último trimestre de cada ano.

A revista divide-se em duas secções: artigos científicos e recensões bibliográficas. Excepcionalmente poderão ser aceites textos de carácter introdutório, no âmbito de homenagens ou divulgações específicas, que não serão submetidos à avaliação por pares. Isentas desta avaliação estão também as recensões bibliográficas.

Todas as submissões serão avaliadas, em primeira instância, pela Coordenação Editorial, no que respeita ao seu conteúdo formal e à sua adequação face à política editorial e às normas de edição da revista. Os trabalhos que cumprirem estes requisitos serão posteriormente submetidos a um processo de avaliação por pares cega / blind peer review (mínimo de dois revisores). O Conselho Científico, constituído pela direcção da UNIARQ e por investigadores externos, acompanhará o processo de edição.

Esta etapa será concretizada por investigadores externos qualificados, sendo os respectivos pareceres entregues num período não superior a três meses. Os revisores procederão à avaliação de forma objectiva, tendo em vista a qualidade do conteúdo da revista; as suas críticas, sugestões e comentários serão, na medida do possível, construtivos, respeitando as capacidades intelectuais do(s) autor(es). Após a recepção dos pareceres, o(s) autor(es) tem um prazo máximo de um mês para proceder às alterações oportunas e reenviar o trabalho.

A aceitação ou recusa de artigos terá como únicos factores de ponderação a sua originalidade e qualidade científica. O processo de revisão é confidencial, estando assegurado o anonimato dos avaliadores e dos autores dos trabalhos, neste último caso até à data da sua publicação.

Os trabalhos só serão aceites para publicação a partir do momento em que se conclua o processo da revisão por pares. Os textos que não forem aceites serão devolvidos aos seus autores. O conteúdo dos trabalhos é da inteira responsabilidade do(s) autor(es) e não expressa a posição ou opinião do Conselho Científico ou da Coordenação Editorial. A Revista Ophiussa segue as orientações estabelecidas pelo Commitee on Publication Ethics (COPE, Comité de Ética em Publicações): https://publicationethics.org/.

O processo editorial decorrerá de forma objectiva, imparcial e anónima. Erros ou problemas detetados após a publicação serão investigados e, se comprovados, haverá lugar à publicação de correções, retratações e/ou respostas. As colaborações submetidas para publicação devem ser inéditas. As propostas de artigo não podem incluir qualquer problema de falsificação ou de plágio. Para efeito de detecção de plágio será utilizada a plataforma URKUNDU (https://www.urkund.com/pt-br/).

As ilustrações que não sejam do(s) autor(es) devem indicar a sua procedência. O Conselho Científico e a Coordenação Editorial assumem que os autores solicitaram e receberam autorização para a reprodução dessas ilustrações, e, como tal, rejeitam a responsabilidade do uso não autorizado das ilustrações e das consequências legais por infracção de direitos de propriedade intelectual.

É assumido que todos os Autores fizeram uma contribuição relevante para a pesquisa reportada e concordam com o manuscrito submetido. Os Autores devem declarar de forma clara eventuais conflitos de interesse. As colaborações submetidas que, direta ou indiretamente, tiveram o apoio económico de terceiros, devem claramente declarar essas fontes de financiamento.

Os textos propostos para publicação devem ser inéditos e não deverão ter sido submetidos a qualquer outra revista ou edição electrónica. Aceitam-se trabalhos redigidos em português, inglês, espanhol, italiano e francês.

Esta edição disponibiliza de imediato e gratuitamente a totalidade dos seus conteúdos, em acesso aberto, de forma a promover, globalmente, a circulação e intercâmbio dos resultados da investigação científica e do conhecimento.

A publicação de textos na Ophiussa – Revista do Centro de Arqueologia da Universidade de Lisboa não implica o pagamento de qualquer taxa nem dá direito a qualquer remuneração económica.

Esta publicação dispõe de uma versão impressa, a preto e branco, com uma tiragem limitada, que será distribuída gratuitamente pelas bibliotecas e instituições mais relevantes internacionalmente, e intercambiada com publicações periódicas da mesma especialidade, que serão integradas na Biblioteca da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Conta, paralelamente, com uma versão digital, a cores, disponibilizada no endereço www.ophiussa.letras.ulisboa.pt, onde se pode consultar a totalidade da edição.

Para mais informações: ophiussa@letras.ulisboa.pt

Normas de redacção

 

1. Estrutura do artigo:

- Título (na língua original do texto e em inglês)

- Autores – indicação do autor ou autores do artigo, com a indicação de email e filiação institucional (facultativo);

- Resumo /Abstract (máx. 150 palavras) - O resumo sempre será sempre na língua original do texto e o abstract em inglês;

- Palavras-chave / Keywords (num total de 5) - As palavras-chave serão sempre na língua original do texto e em inglês;

 

Texto original:

- Idioma – os artigos poderão ser redigidos em Português de Portugal e variantes. Deverá ser indicado se foi redigido conforme o Acordo Ortográfico anterior ou posterior a 1990.

- Além do português serão aceites artigos redigidos em castelhano, francês e inglês e italiano.

- Máximo de 35 páginas (formato Word - ou equivalente nas extensões .doc ou .docx - redigido com fonte do tipo Times New Roman, tamanho 12, com espaçamento entre linhas de 1,5 e parágrafos recolhidos). O número de páginas em causa é referente à totalidade do artigo, incluindo as imagens (fotografias, gráficos, tabelas, lâminas, etc.), legendas das figuras, citações e referências bibliográficas.

- A margem superior e inferior das páginas deverão ser de 2,5 cm e as margens laterais deverão ser de 3 cm.

 

2. Citações:

- As citações de um texto devem ser assinaladas com a utilização de aspas e não a itálico, negrito ou sublinhado, exceptuando os casos em que o texto original tenha já algum tipo de destaque.

 

3. Uso de itálico:

- Deve usar-se o itálico para destacar termos, frases ou estrangeirismos (como latinismos), e não o negrito ou sublinhado. Deve ainda usar-se o itálico para títulos de livros, filmes, jornais, revistas, etc., mas não para artigos de revistas, de acordo com as indicações de referenciação bibliográfica.

- Agradecimentos poderão ser incluídos no final do texto, antes das notas de final de texto.

 

4. Ilustrações:

- Os autores deverão assinalar no texto o local para cada ilustração, devendo esta aparecer depois do texto a que se refere.

- O texto poderá ser acompanhado até um máximo de 15 ilustrações e o seu espaço é contabilizado para o número total de páginas do artigo.

- As ilustrações devem ser entregues em formato .tiff ou .jpg, com uma resolução mínima de 300 dpi. A largura de origem do ficheiro não poderá ser inferior a 15 cm.

- As ilustrações poderão ser a cores (paisagens e materiais) ou preto e branco (desenhos de artefactos).

- Os desenhos, quadros, fotografias e gráficos deverão ser numerados sequencialmente (fig. 1, fig. 2, ...).

- As figuras de artefactos e estruturas devem incluir uma escala gráfica adequada.

- As imagens deverão ser entregues em ficheiros autónomos, claramente individualizados, e devidamente numerados sequencialmente, indicando-se no texto o lugar correspondente.

- Em ficheiro Word independente deverá ser incluída a seguinte informação referente a cada imagem:

1. Nome do ficheiro anexo;

2. Legenda da imagem;

3. Autor/Proveniência– caso se pretenda incluir e que deverá ser referido se não se tratar de um dos autores do artigo;

 

5. Referências bibliográficas:

- A revista Ophiussa utiliza o seguinte sistema de citação bibliográfica: autor data: página (exemplos: Marques 1973: 24; Silva – Carvalho 2003: 356; Oliveira – Nunes – Santos 2014: 37; Rodrigues et al. 1990: 14)

- Não há notas de rodapé. A título excepcional, podem ser incluídas no fim do texto pequenas informações adicionais, sendo numeradas sequencialmente com números em expoente.

- A bibliografia dever referir-se exclusivamente a obras citadas no texto.

- Os títulos das publicações periódicas não devem ser abreviados.

- Quando a autoria da obra citada for partilhada até três autores, todos serão referenciados no corpo do texto.

- Quando a autoria da obra citada for partilhada por mais de três autores, indica-se no corpo do texto o nome do primeiro seguido da expressão [et al.] Na bibliografia serão, contudo, indicados os nomes de todos os autores.

- Se as referências bibliográficas incluem várias obras do mesmo autores editadas no mesmo ano, deve acrescentar-se ao ano de publicação uma letra (2007a, 2007b, ...).

- Podem ser utilizadas abreviaturas no texto de obras de referência, desde que sejam desdobradas na lista de referências bibliográficas.

- Autores espanhóis devem ser referidos pelo primeiro apelido. Exemplo:
BERROCAL RANGEL, L. (1994) – El altar prerromano del Castrejón de Capote: ensayo etno-arqueológico de un ritual céltico en el Suroeste peninsular. Madrid.

- Títulos de artigos e monografias devem ser separados dos respectivos sub-ti%u0301tulos por dois pontos. Exemplo:

COSTA, F. A. P. (1865) – Da existência do homem em épocas remotas no valle do Tejo: notícia sobre os esqueletos humanos descobertos no Cabeço da Arruda. Lisboa.

- Coordenadores e editores literários podem ser referidos como autores no caso de aparecerem destacados na página de título, devendo acrescentar-se ao nome (ed.) ou (eds.), no caso de mais de um editor ou coordenador. Exemplo:

JIMÉNEZ ÁVILA, J. - ORTEGA BLANCO, J. (2008) – El poblamiento en llano del Guadiana Medio durante el período post-orientalizante. In JIMÉNEZ ÁVILA, J. (ed.) - Sidereum Ana I: el rio Guadiana en época post-orientalizante. Mérida (Anejos de Archivo Español de Arqueología, XLVI), 251-281.

Exemplos:

1. Monografias:

GONÇALVES, V. S. (1989) - Megalitismo e metalurgia no Alto Algarve Oriental: uma aproximação integrada. Lisboa, 2 vol.

2. Contribuições em monografias:

FABIÃO, C. - CARVALHO, A. (1990) - Ânforas da Lusitânia: uma perspectiva. In ALARCÃO, A. - MAYET, F. (Dir.) - As Ânforas Lusitanas. Tipologia, produção e comércio. Conimbriga/Paris, 37-63.

3. Contribuições em monografias com indicação de editor:

VIEGAS, C. - ARRUDA, A. M. (2014) – A cerâmica de cozinha africana e as suas imitações em Monte Molião (Lagos, Portugal). In MORAIS, R. - FERNANDEZ, A. - SOUSA, M. J. (eds.) – As produções cerâmicas de imitação na Hispania. Porto (Col. Monografias Ex Officina Hispana 2.), 249-260.

4. Artigos de publicações em série:

CARDOSO, J. L. (1999-2000) – Georges Zbyszweski (1909-1999). Estudos Arqueológicos de Oeiras. 8, 9-20.

5. Artigos de publicações em série com a indicação de volume e número:

VIANA, A. - FORMOSINHO, J. - FERREIRA, O. V. (1952) – Alguns objectos inéditos do Museu Regional de Lagos. Monte Molião. Revista de Guimarães. 62: 1-2, 133-142.

 

6. Apresentação de datas:

- A Ophiussa adopta com algumas alterações as regras constantes da proposta sobre a refere%u0302ncia de datas de radiocarbono aprovada no 1º Congresso de Arqueologia Peninsular (Trabalhos de Antropologia e Etnologia (1995) Porto, 35: 2, 512):

- As datas convencionais de radiocarbono serão expressas em anos BP (Before Present), sendo desaconselhada, vivamente, a subtracção de 1950 à data convencional;

- As datas absolutas deverão ser publicadas acompanhadas sempre da referência de laboratório;

Todas as datações originais, não remetidas para trabalhos publicados anteriormente, deverão incluir os seguintes elementos:

Lab. & Refª

Tipo de amostra

Contexto

Data convencionalBP

12C/13C

cal. BCE (1σ)

cal. BCE (2σ)

- O programa e a curva de calibração utilizados deverão ser sempre referidos e devidamente identificados;

- Em texto, nas referências a datas calibradas, deve indicar-se se o intervalo corresponde a 1 ou 2 sigma. Aconselha-se coerência na escolha, devendo ser ressalvadas as situações em que tal não é respeitado;

- As datas de radiocarbono calibradas deverão ser acompanhadas dos símbolos cal BC (Before Christ), cal AD (Anno Domini) ou cal BP (Before Present), ou ainda cal BCE (Before Common Era) e cal CE (Common Era), conforme o caso, devendo manter-se a coerência interna pela solução escolhida;

- Na citação de datas resultantes da aplicação de outros métodos, devem indicar-se os mesmos elementos requeridos para a referência de datas de radiocarbono (laboratório, número da datação, data obtida e margens de erro), seguidos das siglas que usualmente identificam o respectivo método (TL/U/Th, etc.).

- A referência a grandezas cronológicas (exemplo: 3º milénio, século IV, terceiro quartel do século II, etc.), não reportadas expressamente a nenhuma data específica de radiocarbono, como tal identificada, ou aquelas que realizem a síntese de datas obtidas por métodos diferentes, poderão seguir o sistema tradicional a.C. (antes de Cristo) e d.C. (depois de Cristo) ou o opcional ANE (antes da nossa Era) e NE (nossa Era), sem necessidade da expressão “cal.”, devendo manter-se a coerência interna pela solução escolhida.

 

7. Numerais e unidades de medida:

- Deverá ser deixado um espaço entre os numerais e as unidades de medida, que serão reproduzidas sempre em minúsculas. Exemplos: 5,8 m; 13,2 cm; 150 km; 2,6 kg; 50 l.

- Deve utilizar-se o respectivo sinal e não a designação por extenso (ex: 50% e não 50 por cento).

- Os numerais ordinais e os cardinais (quando estes na%u0303o forem seguidos de unidades de medida) deverão ser representados por extenso, respectivamente, de primeiro a décimo e de um a dez (inclusive), e por algarismos a partir do número seguinte.

- A referência a grandezas cronológicas (exemplo: III/3º milénio, século IV/4, terceiro quartel do século II/2, etc.), poderá apresentar-se alternativamente com numerais arábicos ou romanos, desde que respeitando a coerência interna do texto.

- Décadas e anos devem ser escritos sob forma numérica e não por extenso (ex: 1250 e não mil duzentos e cinquenta; década de 1980 e não década de 80, ou oitenta). Século deve ser escrito sem abreviação, seguido de numeração romana ou arábicos (ex: século XIII/13 e não séc. XIII, ou século treze).

 

8. Correcção de Provas:

- Aconselha-se vivamente a utilização da correção de provas pelas funcionalidades disponíveis em Word ou em Adobe Acrobat Pro, ou programas similares e compatíveis.

- No caso de correcções de provas em papel, deverão ser utilizados os sinais convencionais estabelecidos pela Norma Portuguesa de 1987 (NP-61).

- Não serão permitidas alterações substanciais ao texto original.

- Os artigos são submetidos a uma única revisão de provas.

 

Pesquisa

Destaques

Sobre nós

Ophiussa – Revista do Centro de Arqueologia da Universidade de Lisboa foi iniciada sob a direcção de Victor S. Gonçalves em 1996.

A partir de 2017, esta revista editada pela UNIARQ – Centro de Arqueologia da Universidade de Lisboa, passou a incluir uma edição impressa e digital.

O seu principal objectivo é a publicação e divulgação de trabalhos com manifesto interesse, qualidade e rigor científico sobre temas de Pré-História e Arqueologia, sobretudo do território europeu e da bacia do Mediterrâneo.

Ophiussa – Revista do Centro de Arqueologia da Universidade de Lisboa publica um volume anual e inclui uma equipa de direcção redactorial, comissão científica e avaliação por revisores externos.

A revista encontra-se indexada no Diretório do Latindex com o número de Folio 26814.

Palavras chave

Links úteis