ÂNFORAS DA QUINTA DO LAGO (LOULÉ, PORTUGAL): AS IMPORTAÇÕES

Autores

  • Ana Margarida Arruda UNIARQ (Centro de Arqueologia). Faculdade de Letras. Universidade de Lisboa

DOI:

https://doi.org/10.51679/ophiussa.2019.50

Palavras-chave:

ânforas, período romano, comércio, Quinta do Lago, Algarve

Resumo

A villa romana da Quinta do Lago, em Almansil (Loulé, Portugal), é sobretudo conhecida pela unidade de produção de preparados piscícolas datada dos séculos III e IV, bem como pelas ânforas fabricadas localmente, que se destinavam ao envasamento desses preparados. Porém, a ocupação daquele espaço iniciou-se numa fase relativamente precoce do Alto Império, no século I, como ficou comprovado pelos materiais recolhidos durante os trabalhos de campo, entre os quais se contam as ânforas importadas.

Estas últimas, com origens diversificadas (Itália, Bética costeira e Guadalquivir, Norte de África, Gália e Lusitânia), cobrem a totalidade da cronologia da ocupação (séculos I a IV), transportando para o sítio distintos produtos alimentares (vinho, azeite e preparados de peixe).

##submission.additionalFiles##

Publicado

2021-10-15

Edição

Secção

Articles

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)